domingo, 5 de Dezembro de 2010

Verónica é o meu nome

Pensei diversas vezes sobre como começar a escrever aqui...falar de mim, dos outros, de mim e dos outros...depois chegam as questões primordiais tais como: "mas quem és tu para teres o que contar?", ou "será que isto reconhece os erros ortográficos?", "Se te tornares famosa com isto cada letra passa a valer uma pipa?", ou "mas de que posso falar até morrer?".
Pensei bastante e dentro dos meus cabelos cor de fogo, ou cor vermelho Cashmere da L'oreal, encontrei a resposta singela, começarei a escrever sobre o que me irrita, mas não começarei pela chuva, pelo frio ou pelo assobio que o vento forte faz a dobrar a esquina da minha habitação, devo começar pelo cerne da questão, o meu nome... O meu nome, aliás o nosso nome caras co-autoras de blog, está ali naquele limiar entre o que pode ser e o que não é coisa nenhuma, entre o estranho do género Asdrubalina e o comum Maria, e apesar de estar por ali a marinar entre o saloio e o chique, não impede que poucos sejam os que o sabem dizer. Muitas foram as vezes em que fazendo largos gesto tive que gritar que o meu nome se dizia VE-RÓ-NI-CA e não VRÓNICA como costumam dizer. Que mania de encurtar as palavras!! Eu não quero cá diminutivos, para isso os meus pais teriam-me chamado Francisca ou Alexandra e aí já poderiam abusar no Chica ou Chiquinha, ou talvez Xikinha se quisermos ser mais actuais....

Sem comentários:

Enviar um comentário